and 23 fevereiro 2021 Fazer do meu jeito

Se você preferir, pode ouvir este conteúdo clicando aqui!

Conheça o projeto que aproxima a arquitetura das crianças e acesse as atividades práticas para divertir as crianças em casa.

Em 2016 uma frase ficou ecoando por alguns dias na nossa cabeça: “Uma cidade que não acolhe crianças e mulheres, não é uma cidade para todos.” Essa frase estava no documento final da HABITAT III, que aconteceu em Quito (Equador) naquele ano, e que definiu a nova agenda urbana mundial. E a frase, que fez muito sentido desde que a ouvimos a primeira vez, gerou uma inquietação. Como podemos trabalhar a arquitetura e a cidade a partir da experiência e da escala dos pequenos?

Crianças pintando um papel craft a partir da história de um áudio livro.

Crianças pintando a história que estavam ouvindo a partir do livro “A Cidadela”, que conta a história da arquiteta Lina Bo Bardi e da construção do SESC Pompéia. Foto: Microponto Produções.

Começaram a surgir questionamentos do tipo “será que as crianças conseguem se ver e se guiar pelas placas urbanas”. Também revivemos lembranças de quando éramos crianças e o nosso quarto parecia enorme. Como resposta a essa percepção e sentimento, acabávamos criando nossas próprias cabanas. Sim, tudo isso está muito conectado e explica alguns comportamentos das crianças.

Realizamos pesquisas com pais e professores, e estudos de caso de projetos realizados em outros países referência no tema. A partir disso, desenhamos um projeto que pudesse sair do papel de forma acessível, para levar o universo da arquitetura para as crianças.

Crianças brincando com o jogo de memória gigante

Jogo da memória desenvolvido para as oficinas realizadas em Blumenau. Foto: Microponto Produções.

Oficinas com as crianças

A primeira fase do projeto Arquitetura e Cidade Para Crianças realizou 08 oficinas em Blumenau, para crianças entre 06 e 09 anos. O objetivo principal das oficinas era de incentivar uma relação afetiva das crianças com a vida urbana. Dessa forma poderíamos auxiliar na compreensão do direito à cidade, valorização do patrimônio cultural edificado, e proporciona o entendimento da relação entre a natureza e o que foi construído pelo homem.

Crianças sentadas em roda, ao ar livre, aprendendo sobre meio ambiente e sustentabilidade.

Oficina realizada na EBM Visconde de Taunay. Algumas atividades sobre meio ambiente e sustentabilidade foram realizadas ao ar livre. Foto: Microponto Produções.

Cartilha de atividades

O segundo passo foi desenvolver uma cartilha com atividades práticas sobre o tema. As atividades podem ser realizadas nas escolas ou em casa mesmo, com materiais simples e usuais do ambiente da casa. Esta cartilha pode ser acessada e baixada gratuitamente aqui.

Cartilha Arquitetura e Cidade para Crianças.

Cartilha Arquitetura e Cidade para Crianças.

Na cartilha você vai encontrar atividades como: observação do sol, medição com passos, cidade de sucata e caixa mágica. Todas elas trabalham de forma integrada questões da cidade, da arquitetura e do meio ambiente.

A cartilha foi formatada em formato A4, pode ser baixada e impressa em uma impressora comum. Com isso, conseguimos democratizar o conteúdo e fazer com o tema da arquitetura também pudesse ser explorado no dia a dia das crianças, de forma lúdica, priorizando o aprendizado pelo descobrimento.

Criança desenhando a sua casa em uma prancheta

Atividade: desenhando a minha casa. Foto: Microponto Produções.

Além das atividades, a cartilha também traz alguns conteúdos e reflexões para pais e professores. O objetivo do material também é sensibilizá-los para o tema, para que possam acompanhar os pequenos nas atividades e conversar com elas sobre os aprendizados obtidos.

Em 2017 o projeto “Arquitetura e Cidade para Crianças” teve o financiamento do Fundo Municipal de Apoio à Cultura de Blumenau. O apoio recebido contemplou a compra de materiais, a realização das oficinas, o desenvolvimento e a distribuição da cartilha de atividades impressas para todas as escolas do município.

Amanda
LEIA AS OUTRAS MATÉRIAS

AmandaArquiteta e urbanista, sócia da Arquiteca Projetos Afetivos, experimentando a produção de peças cerâmicas artesanais. Já morou na Hungria e no Rio de Janeiro. É colecionadora de lápis que usa pouco e cadernetas que nunca termina. A astrologia lhe inquieta e uma xícara de café sempre conforta.

Fabíola
LEIA AS OUTRAS MATÉRIAS

FabíolaArquiteta e urbanista, sócia da Arquiteca Projetos Afetivos, atua em projetos de arquitetura e organização de eventos. Desde sempre apaixonada por arquitetura e viagens e, cada vez mais, por gastronomia. Se aventura em pratos novos em busca de sensações inéditas, cozinhando com todo o amor que existe em si. Acredita no poder de transformação das pequenas coisas, seja um gole, uma conversa ou uma flor na mesa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *