and 20 dezembro 2020 Fazer do meu jeito

A vela é um presente que sempre agrada. Produz uma luminosidade aconchegante que remete à intimidade e ao romance, e é um símbolo de celebração. Então, bora lá fazer uma vela na xícara, para presentear quem ilumina nosso dia a dia?

A história da chama

Sabe-se que as velas têm sido usadas por mais de 5.000 anos e que sua fabricação foi desenvolvida, ao mesmo tempo, em muitos lugares do mundo. O uso mais antigo é frequentemente atribuído aos egípcios, que faziam tochas embebendo o caule dos juncos em gordura animal derretida. No entanto, elas não tinham pavio como uma vela verdadeira.

Na China, há registros do uso de gordura de baleia para a confecção de velas por volta de 221 a.C. No Japão, elas eram feitas da cera extraída de nozes, enquanto na Índia, a cera vinha dos frutos da canela aferventados. Já a cera de abelha, por ser um material de extração custosa, permaneceu restrita aos ricos, às igrejas e aos eventos reais, na Idade Média.

As velas desempenharam um papel importante nas cerimônias religiosas desde a Antiguidade. Existem várias referências bíblicas à elas, como a que descreve o Hanucá (ou Chanucá), também conhecido como o Festival das Luzes judaico. Nessa ocasião, o Menorá, candelabro de 9 braços, tem uma vela acendida a cada dia.

Parafina versus ceras vegetais

A cera de parafina foi introduzida por volta de 1850, depois que os químicos aprenderam a separar, com eficiência, a substância cerosa que ocorre naturalmente no petróleo e refiná-la. Como o custo dessa matéria-prima era mais acessível do que a qualquer outra, a parafina se popularizou. Mas, no século 20, pesquisas demonstraram que as velas de parafina emitem tolueno e benzeno, duas substâncias cancerígenas. Com isso, muita gente passou a preferir velas feitas de cera de abelha, ou de ceras vegetais, como soja, palma e coco.

As velas de ceras vegetais são seguras, biodegradáveis, veganas, e queimam mais devagar que as de parafina. Só vi vantagens, e você? Então, para este projeto, a proposta é usar cera 100% vegetal!

Para fazer a vela na xícara, você vai precisar de:

  • Xícara de porcelana ou cerâmica
  • Cera vegetal (de coco, soja ou palma)
  • Pavio de algodão com ilhós
  • Panela esmaltada com bico (também pode ser uma jarra de ágata)
  • Outra panela para o banho-maria
  • 1 pedaço de fita (opcional)
  • 1 etiqueta de papel (opcional)

Passo a passo para fazer a vela na xícara:

Passo 1: separe os materiais que vai precisar. Aqui, usamos uma xícara e um pires da coleção Mendi Corvina, da Oxford. Foto: Cacá Bratke
Passo 2: meça o tamanho do pavio, encostando o ilhós no fundo da xícara e deixando alguns centímetros a mais de pavio, para enrolar no palito ou graveto. Foto: Cacá Bratke
Passo 3: centralize o pavio. O ilhós de metal deve tocar o fundo da xícara, e o pavio deve estar esticado. Foto: Cacá Bratke
Passo 4: derreta a cera vegetal em banho maria, na panela ou jarra esmaltada com bico. Foto: Cacá Bratke
Passo 5: derrame a cera com cuidado, e espere esfriar. Foto: Cacá Bratke
Passo 6: retire o graveto ou palito e corte o pavio, cerca de 1,5 cm acima da cera. Foto: Cacá Bratke
Passo 7: hora de decorar! Amarre a fita na asa da xícara, prenda a etiqueta de papel e dê um laço bem caprichado. Foto: Cacá Bratke
Detalhe da mesa posta de Natal: vela feita dentro da xícara de porcelana vinho.
Sua vela na xícara está pronta! Agora é só esperar pelos elogios. Foto: Cacá Bratke

Veja também o post com a mesa de Natal decorada por Pixu. Tem dicas ótimas que você vai amar!

Fotos: Cacá Bratke
Produção: Cláudia Pixu

Biti
LEIA AS OUTRAS MATÉRIAS

Jornalista especializada em lifestyle, moda e beleza, trabalhou como editora nas revistas Marie Claire e QUEM. Colaborou com veículos como Folha de São Paulo, Claudia, Elle, iCasei e FFW. Curiosa e detalhista, adora design, gastronomia, fotografia, moda, viagens e tecnologia.

Pixu
LEIA AS OUTRAS MATÉRIAS

Cláudia Pixu, da Chez Pixu, foi editora de fotografia da revista Casa e Comida durante os seus nove anos de circulação. É co-autora dos livros Receber com Charme, edições 1 e 2, da Editora Globo. Foi produtora de decoração e culinária das revistas Casa e Jardim, Claudia, Claudia Cozinha e Elle. Atualmente, Pixu atua como produtora e consultora de lifestyle e ministra workshops de montagem de receber.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *